Como entender um laudo de tratamento de efluentes - Terranalises

Novidades

Como entender um laudo de tratamento de efluentes

20 set 2021

Por serem responsáveis por altas taxas de poluição, indústrias de diversos setores devem fazer o tratamento de efluentes.

O tratamento de efluentes é a principal forma para que uma indústria consiga diminuir os efeitos da poluição gerada por ela

A necessidade do tratamento de efluentes

A vida moderna faz com que as indústrias criem produtos e serviços constantemente.

O objetivo é satisfazer os estímulos humanos, que desejam adquirir produtos e consumir serviços, sejam eles básicos ou não.

Para entregar as soluções desenvolvidas, muitas vezes as indústrias podem ser altamente poluentes e contaminantes.

Os prejuízos ao meio ambiente são diversos, desde a poluição do ar com fumaças, até a contaminação de corpos d’água.

Sendo assim, as indústrias têm a obrigação e necessidade de realizar o tratamento de efluentes.

Esse tratamento consiste em proteger a natureza e a vida, além de recuperar o que foi danificado pela ação humana.

Quer nascentes, rios e mares, quer o ar e a atmosfera, ou então as matas, a flora e a fauna das florestas.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT - NBR 9800/1987 define o que são efluentes industriais).

Segundo a ABNT, efluentes são “despejos líquidos provenientes das áreas de processamento industrial”.

Todavia, várias outras substâncias podem ser entendidas como efluentes industriais, e também precisam de atenção.

São considerados os efluentes oleosos, os com elevada carga orgânica, com metais pesados ou com contaminantes emergentes.

Ou seja, qualquer material com potencial de prejudicar o meio ambiente ou a vida humana e animal na Terra é um efluente industrial.

Independentemente se são encontrados em seu estado físico sólido, líquido ou gasoso.

Efeitos dos efluentes na natureza

O despejo incorreto e sem tratamento de efluentes na natureza traz sérios riscos à saúde humana, animal e vegetal.

Independentemente do setor em que a indústria atua, as potencialidades poluentes devem ser diminuídas ou evitadas.

A poluição atmosférica é um grande exemplo de como a liberação de resíduos tóxicos pode afetar negativamente a saúde.

Originada da emissão de gases industriais, esses efluentes provocam diversos fenômenos climáticos.

São consequências para a natureza, a chuva ácida, o efeito estufa e a destruição da camada de ozônio.

Além disso, podem provocar sérias doenças pulmonares crônicas, como asma, enfisema, e câncer de pulmão.

Mas há também as indústrias que poluem os corpos d’água, como nascentes e rios que abastecem cidades inteiras.

Existem tratamentos adequados que são indicados para essas empresas, porém nem sempre os investimentos são realizados.

Entre as soluções ecológica e economicamente mais adequadas está a simbiose industrial.

Entretanto, quando esses tratamentos não ocorrem, essas indústrias acabam optando por descartar o efluente em corpos d’água.

Isso pode trazer graves consequências, como aumento da temperatura e do pH da água, e desequilíbrio ecológico.

Quando a temperatura aumenta, a quantidade de oxigênio nela dissolvido diminui, afetando o metabolismo dos microorganismos.

Já a eutrofização, por exemplo, ocorre quando há o aumento da presença de nutrientes como nitrogênio e fósforo na água.

Esse fenômeno causa mudanças nas propriedades físicas, químicas e biológicas do meio, e leva a perdas da biodiversidade.

O aumento de fenóis, cianetos e metais pesados também contribui para a degradação ambiental, e prejudica a saúde.

O tratamento de efluentes é obrigatório

Diversas leis, regulamentos e normas tratam do tratamento de efluentes nas mais variadas formas e situações.

Como é o caso dos efluentes líquidos, regulamentados por resoluções do Conselho Nacional de Meio Ambiente.

As normas nº 430/2011 e nº 396/2008 falam sobre o tema, justificando a importância do monitoramento dos efluentes.

Já quando falamos no reúso de resíduos sólidos, citamos a NBR 13.969/97, da ABNT.

Além do CONAMA e da ABNT, muitos outros órgãos também criaram regulamentações e normas que tratam do assunto.

Ministério do Meio Ambiente, secretarias estaduais e municipais, e outras instituições têm suas normas próprias.

Análise dos efluentes

Mas além do cumprimento legal, existem diversos outros motivos para que a sua empresa realize o tratamento de efluentes.

Entre as principais razões, podemos citar:

Uma imagem positiva de sua empresa perante a sociedade;
Licenças ambientais trazem facilidades para conseguir financiamentos bancários;
Atração e retenção de clientes que optam por comprar produtos e contratar serviços de empresas que demonstrem responsabilidade ambiental.

Mas, apesar de obrigatório, o tratamento de efluentes muitas vezes gera desconhecimentos e dúvidas.

Por isso é importante que o responsável pela indústria, ou um membro da equipe saiba realizar a interpretação de um relatório de ensaio analítico.

A depender do resultado obtido com a análise, a indústria escolhe o método mais adequado para fazer o tratamento.

Os métodos utilizados garantem que a empresa esteja alinhada aos padrões estabelecidos pela legislação.

Os resultados analíticos são executados com o objetivo de atender às especificações de normas nacionais e internacionais, como:

Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater
American Public Health Association (APHA)
Water Environment Federation (WEF)
Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB)
Agência Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Os processos analíticos devem identificar os componentes presentes em determinada amostra e quantificar suas concentrações.

A partir dos resultados das análises, uma opção interessante é realizar o tratamento selecionando uma de suas etapas.

O que analisar?

Para facilitar o entendimento sobre quais análises podem ser feitas, faremos um breve esclarecimento das possibilidades.

A verificação de alguns parâmetros de qualidade são excelentes opções. Entre eles:

Cor
pH
Turbidez
Temperatura
Sólidos em suas diversas frações

Esses parâmetros fornecem indicações preliminares muito importantes acerca dos aspectos químicos da qualidade da água.

Aqui vão algumas dicas de ouro para quem quer interpretar as análises de qualidade da água.

Como orientação, selecionamos os parâmetros físicos e químicos para serem analisados. Temos, então:
Parâmetros Físicos
Não é possível obter:

A somatória dos parâmetros sólidos fixos e voláteis maior que sólidos totais;
Obter a somatória dos parâmetros sólidos em suspensão e dissolvidos maior que sólidos totais;
A somatória dos parâmetros sólidos em suspensão fixos e voláteis maior que sólidos em suspensão totais;
A somatória dos parâmetros sólidos dissolvidos fixos e dissolvidos voláteis maior que sólidos dissolvidos totais;
Alta concentração de sólido em suspensão e turbidez baixa e vice-versa;
Alta concentração de sólidos sedimentáveis e baixas concentrações de sólidos em suspensão;
Cor verdadeira elevada e baixa concentração de sólidos dissolvidos.

Parâmetros Químicos
Não é possível:

Ter elevadas concentrações de Ferro (Fe) e Manganês (Mn) e baixos valores de Cor;
Existir alcalinidade de bicarbonato em uma água que contenha alcalinidade de hidróxidos e vice-versa;
Calcular a Dureza Total (expressa por CaCO3) pela soma das concentrações dos íons de Ca e Mg, expressos em mg/L.

É improvável:
É muito improvável que se tenha DBO5 maior que DQO da amostra.

É possível:
Existir acidez em amostras com pH > de 8,3;
Existir alcalinidade em amostras com pH < de 4,5;
Que a alcalinidade de bicarbonatos seja proporcional à Dureza Temporária;
Expressar o Nitrogênio kjeldahlTotal (NTK) através da somatória do N orgânico mais o N amoniacal.

Converse com o Terranálises
Mesmo sendo obrigatório, o tratamento de efluentes depende de uma análise minuciosa e rica em detalhes.

Sendo assim, a análise deve ser feita por um laboratório técnico e com competência e transparência comprovadas.

Isso vai garantir que sua indústria esteja em conformidade com os padrões legais, evitando multas e prejuízos.

O Laboratório Terranálises é a opção segura para garantir que sua empresa esteja dentro dos parâmetros.

Responsabilidade, garantia de prazos e confiabilidade dos serviços e emissão do relatório de ensaio com absoluta precisão.

Trabalhamos com amostras de efluentes líquidos e sólidos de Estações de Tratamento de Efluentes (ETEs).

Realizamos análises Microbiológicas, Físico-químicas, Metais pesados, Cromatográficas, Biológicas e Microscópicas.

Conte com o Terranálises para analisar e realizar o tratamento de efluentes de sua indústria e, assim, atender aos padrões da legislação vigente.

IR PARA NOVIDADES

Veja também